uma_mulher

Edilson Pereira lança outro livro 2 em 1: “A Dama do Largo da Ordem/Mate Meu Marido, Por Favor!”
Novelas do jornalista e escritor que mora em Curitiba apresentam suspense, investigação, sexo e humor

O jornalista e escritor de Curitiba Edilson Pereira, 63 anos, dá continuidade ao seu projeto de publicar novelas que anteriormente estamparam páginas de jornal lançando recentemente outro livro dois em um: “A Dama do Largo da Ordem/Mate Meu Marido, Por Favor!” (Editora Baskerville, 280 páginas, R$ 20) – com duas novelas policias em um único volume. O livro está à venda na livraria Sebo Novo, no centro curitibano, e quem está longe da Capital pode fazer um pedido pelo e-mail sebonovo@gmail.com.

Nas novelas recém-transformadas em livro, Pereira insiste no tom policial, na atmosfera noir e em personagens que habitam o submundo curitibano. Mais uma vez, o detetive Lindomar Stenzel se vê envolvido em casos misteriosos, cuja solução, obviamente, só é apresentada ao leitor nas últimas páginas das novelas. O escritor, que já foi cronista do então caderno D+, do Diário, sob pseudônimo Fahrenheit, afirma que os capítulos curtos (pensados inicialmente para a coluna de um jornal popular) mesclam suspense, sexo e também humor.

“As histórias não negam a influência do cinema, da literatura noir e pequena dose dos irmãos Marx – que não eram comunistas”, brinca Pereira. “A Dama do Largo da Ordem”, explica ele, foi originalmente publicada no jornal curitibano Tribuna do Paraná, em 2010. “Mate Meu Marido, Por Favor!” também foi publicada no mesmo periódico, só que com outro nome: “Um Estranho Chamado Anjo”.

“As histórias tinham ritmo ditado pelo estilo da publicação, um jornal popular: capítulos curtos, um pouco de suspense e um pouco de humor. A trama alimentada por um mistério mantido até os capítulos finais. A fórmula não era nova. Muitos escritores de primeiro time na literatura nacional e internacional, depois do advento da imprensa, publicaram obras seguindo este modelo – nas páginas de jornal. A ideia era esta: resgatar algo que fez parte da história do jornalismo impresso, com enredos em Curitiba ou arredores. A seção Folhetim, na Tribuna do Paraná, durou quase dois anos e no período publicou três histórias – ‘A Dama do Largo da Ordem’, ‘O Pavão Tatuado’ e ‘Um estranho chamado Anjo'”, explica.

No ano passado, Pereira lançou o romance “A Garota da Cidade”, primeiro livro da trilogia que retrata com humor Maringá e os anos 1970. E ainda outro dois em um, com as novelas “A Loira do Táxi Noturno” e “”O Homem do Hotel Cervantes”.

Nascido em Oriente (SP), o escritor se criou em Maringá e trabalhou por muitos anos como jornalista do Diário. Atualmente é colunista e editor do Paraná Online.

ESTANTE
A DAMA DO LARGO DA ORDEM/MATE MEU MARIDO, POR FAVOR!
Autor: Edilson Pereira
Editora: Baskerville
Gênero: novelas
Número de páginas: 280
Preço: R$ 20
Peça pelo e-mail: sebonovo@gmail.com


PROFÍCUO. Edilson Pereira, na redação do jornal onde trabalha, em Curitiba: três livros publicados em dois anos. —FOTO: DIVULGAÇÃO

ISTO É PEREIRA

“Tenho pavor de labirintos”
“Eu quero o meu filho.”
O detetive Lindomar Stenzel encarou o comendador e disse:
“Muito bem. Eu não estou com ele.”
“Eu sei. Mas o senhor pode encontrá-lo.”
“Já tentou a polícia?”
“Já. O senhor sabe, a corrupção e a preguiça transformaram a polícia num organismo quase inútil. Além disso, eu não sei o que aconteceu. E caso seja algo que eu não gostaria de contar para os amigos, nunca vou ter a certeza de que não vai cair nos ouvidos de um engraçadinho querendo aparecer num jornal e transformar uma história de família em escândalo. Entendeu?”
Fazia sentido. Mas, ainda assim, tinha um problema. Ele podia ser Lindomar Stenzel, mas estava com setenta e cinco no lombo. E isto é coisa que nenhum sujeito pode ignorar. Ele andava faceiro todas as manhãs pela cidade de boné e tênis, andava quilômetros, aquilo fazia bem para a saúde. Mas uma coisa é andar e outra é correr atrás de alguém sem que o sujeito saiba onde esse alguém se meteu. Ele era um cara cheio de dúvidas e nenhuma certeza. O comendador parecia adivinhar os pensamentos do detetive: “Eu pago cinquenta mil. Metade agora e o resto depois do serviço.”
///Trecho da novela “A Dama do Largo da Ordem”, de Edilson Pereira

Fonte: http://digital.odiario.com/cultura/noticia/894853/mais-2-novelas-de-pereira/

 

Written by edilsonpereira