OBRAS

A_DAMA_DO_LARGO_DA_ORDEM

A Dama do Largo da Ordem

Um velho arrasado pelo remorso procura o detetive Lindomar Stenzel, que se aposentou, para descobrir o paradeiro do filho bastardo que teve décadas passadas. A única pista que velho tem são fotos antigas. O detetive se depara com uma fauna de tipos suspeitos e misteriosos, entre eles a cantora Madalena von Losch. Primeiro folhetim escrito em 2008 e publicado em capítulos na Tribuna do Paraná no final de 2010 e começo de 2011. Cronologicamente é a última aventura de Lindomar Stenzel, embora seja a primeira escrita.

 

UMA_MULHER_MUITO_PERIGOSA

Uma mulher muito perigosa

Escrita no começo de 2011 e publicada em capítulos na Tribuna do Paraná entre março e agosto do mesmo ano com o nome de “O Pavão Tatuado”, esta novela coloca o detetive Lindomar Stenzel em sua juventude no centro de uma trama que repete o enredo de “O Falcão Maltês”. O caso se passa numa Curitiba fria e nublada onde pessoas começam a morrer depois de um grupo de estranhos aparecer na cidade, entre eles uma mulher insinuante, em busca de um pavão cravejado de diamantes, joia feita no século 17 pelos jesuítas das Missões e que pertenceu a importantes personagens históricos.

 

MATE_MEU_MARIDO_POR_FAVOR

Mate meu marido, por favor!

Este é o único dos cinco folhetins escritos para o jornal não protagonizado pelo detetive Lindomar Stenzel. Foi publicado em capítulos de agosto de 2011 a abril de 2012. O início da novela faz referência a “O destino bate à sua porta”, clássico da literatura policial norte-americana. Cantor sertanejo foge de Califórnia para não ser morto por um marido ciumento e aparece num lugar ermo entre Ponta Grossa e Curitiba onde encontra Bia Butterfly, loira que trabalha na gráfica do marido, um velho de quem ela quer se livrar. Mas o velho conta com Emmanuel Kant, um anão de má índole, que faz serviço sujo.

 

A_LOIRA_DO_TAXI_NOTURNO

A loira do táxi noturno

Motorista de táxi aparece na redação da Tribuna e jura por todos os anjos que transportou uma loira fantasma para o cemitério onde ela simplesmente sumiu. O jornal faz estardalhaço com o caso e irrita a presidente da Associação das Loiras Legítimas de Curitiba, que procura o editor Jules Bendemann para saber o que está acontecendo. Ele a aconselha a contratar o maior detetive do Paraná, Lindomar Stenzel, para resolver o mistério. Stenzel resolve o caso com a ajuda de Pablo Picasso, um pintor frustrado que vive de fazer retratos falados para a polícia e do coveiro Alexandrino Baltazar Nepomuceno de Souza, especialista em Shakespeare e conhecedor da noite curitibana no sentido plúmbeo da palavra.

 

O_HOMEM_DO_HOTEL_CERVANTES

O Homem do Hotel Cervantes

Depois que sua mãe adotiva, uma negra, morre, médico famoso procura em Curitiba um pai de santo japonês para descobrir quem foi a sua mãe biológica. Para não arrumar confusão com o além, pai de santo entrega o caso para o detetive Lindomar Stenzel. Quinto folhetim escrito para a Tribuna do Paraná. História ambientada em Curitiba, com passagens em Irati, Morretes e Guaratuba. Embora estereótipo de gênero policial, a novela faz referência ao radioteatro e a um dos maiores sucessos da dramaturgia radiofônica nos anos 50 e 60, a novela “O Direito de Nascer”, escrita pelo cubano Félix Caignet.

 

O_PORTUGUES_DOS_OLHOS_VERDES

O português dos olhos verdes

Atraído pela formosura da moça, o detetive Lindomar Stenzel resolve ajudar a sua colega Nicole Sherman que decide investigar a origem de um livro do século 18 que apareceu num sebo da cidade. Ela apostava que ali havia um grande segredo mas não podia imaginar que se tratava na realidade da chave de uma trama na qual se envolve um nonagenário oficial nazista, uma empregada doméstica que recebeu herança, judeus caçadores de nazistas e neo-nazistas caçadores de qualquer coisa que renda dinheiro. O passado de Curitiba nas primeiras décadas do século 20, no qual os simpatizantes de Adolf Hitler circulavam faceiros pelas ruas e que parecia soterrado, retorna como um fantasma para inquietar a cidade.

 

 

A_GAROTA_DA_CIDADE

A garota da cidade

Sheila Bettmann era uma loira de fechar o comércio e procurava emprego decente para pagar a operação da mãe doente. Ela não consegue emprego, mas um japonês chamado Toshiro Matsumoto lhe faz uma proposta indecente. Ele lhe dá o dinheiro da operação em troca de favores sexuais no Hotel Matsuda, em Maringá. A loira aceita o acordo e o japonês não cumpre a sua parte. A loira corta a garganta do japonês com gilete, é presa, foge da cadeia e vai para o Rio de Janeiro se transformar num mito sexual dos anos 70. Sheila Bettmann faz sucesso no Brasil, vai para Hollywood e quando ia conquistar o mundo, a sua vida muda mais uma vez. Primeiro livro da trilogia A Cidade, escrito de abril a setembro de 2007.

 

NINGUEM_MATA_POR_AMOR

Ninguém mata por amor

Cacaso é pobre, violento e talentoso. Mas talento não vale nada no mundo em que vive. Ele compensa frustração social com agressividade. Paloma não sabia até onde ia o rancor de Cacaso e o traiu. Agora, mais que antes, Casaso não tinha o que fazer na vida. O cara do banco perdeu a chance de ser feliz no dia em que Paloma o convidou para ir a um hotel e ele não foi. Ele era acostumado a perder e colocou mais esta na longa lista de derrotas. Estes são alguns personagens deste livro sobre pessoas amargas, algumas das quais matam em nome do amor, sem saber que ninguém mata por amor. Apenas por ódio. Este livro traz ainda a história “Malditos todos os que me possuíram”, ficção sobre Silvia Seraphim, a mulher que matou o irmão de Nelson Rodrigues. Segundo livro da trilogia A Cidade, escrito no segundo semestre de 2011.

 

A_VELHA_CIDADE_PERDIDA

A velha cidade perdida

Leonor insistiu e Homero assinou o divórcio. Depois de trinta anos, cada um foi para o seu lado. Por estar sozinho ele resolveu voltar para a cidade em que passou a infância, a juventude e parte da idade adulta. Voltava não porque ela fosse o melhor lugar do mundo, mas porque era um bom lugar para morrer. No entanto, a cidade que ele conheceu quando criança e mesmo quando jovem, não existia mais. As poucas coisas que reconhecia estavam em ruínas ou sendo sendo demolidas, como os velhos abandonados que esperavam a hora da morte. Viver não é fácil, mas a velhice é pior ainda, é uma fase da vida sem energia e sem brilho, como a pálida luz do sol no fim de um dia. Escrito entre a primavera de 2009 e outono de 2010. Terceiro livro da trilogia A Cidade.

 

ESFINCTER

Esfincter

Antonieta era acusada de assassinato. Entrou na sala do delegado cheia de trejeitos dizendo ser inocente. Todo acusado diz a mesma coisa. O delegado pensou que seria um caso fácil, mas como era paciente, resolveu ouvir a história dela. Ao final concluiu que foi a história mais lazarenta, encardida e infame que ouviu. E mais: ela era inocente e o auxiliar do delegado, Abdul, tinha culpa no cartório. Fazia algum tempo que o delegado queria se livrar da arrogância de Abdul e a história veio a calhar. Antonieta saiu da delegacia com os olhos marejados, esperançosa de ainda ser feliz. Escrito em janeiro de 2008 e disponível apenas no formato digital.

 

UMA_PROFISSAO

Uma profissão tão antiga quanto a tua

Os vinte contos deste livro publicado em 2012 mostram porque todo homem é um assassino em potencial e matar pode ser algo tão natural quanto respirar. No livro, a arte e o engenho de matar aparecem em seus arquétipos clássicos impregnados de culpa religiosa e desejo sexual, como no conto que dá título à coletânea. Os enredos sempre com texto seco e diálogos cortantes são rápidos e caminham em geral para uma reviravolta e desfechos trágicos.

 

 

TEATRO

O Sr. Melância quer mandar – As desventuras de um ditador latino-americano que tem que se exilar em Camboriú, depois de ser deposto, enquanto de longe vê seus antigos auxiliares se revezarem no poder. Até um deles convidar para ajudá-lo a controlar o país. É a chance de ele voltar ao poder. Peça classificada em terceiro lugar no Prêmio Funarte de Dramaturgia-Região Sul em 2003.

Uma família é um negócio – Depois de algum tempo desempregado, Cícero volta para casa feliz para anunciar para a mulher que a família não precisa mais se preocupar com dinheiro. Quando chega em casa se surpreende ao perceber que o padre, preocupado com as finanças da família de Cícero, transferiu o comando familiar para Orlando, homem de negócios que precisa de uma família para manter aparências de decência e honradez. Uma família é como um negócio qualquer. Sem dinheiro ela não funciona. Peça classificada em terceiro lugar no Prêmio Funarte de Dramaturgia-Região Sul em 2004.